Pular para o conteúdo principal

Disco do Dia: NEW (Paul McCartney)


DISCO DO DIA: Nessa sessão você encontrará os discos de estúdio dos Beatles e das suas carreiras solo lançados no dia da publicação, com dados e curiosidades sobre a sua produção e ainda, de quebra, pode ouvi-lo enquanto curte o site!

01 - Paul McCartney – NEW – 11/10/2013

New é o décimo sexto álbum solo de estúdio de Paul McCartney, lançado inicialmente em 11 de outubro de 2013, lançado no Reino Unido em 14 de outubro de 2013 e no dia seguinte nos Estados Unidos. O álbum foi o primeiro desde Memory Almost Full (2007) a consistir inteiramente de novas composições.

O disco foi inspirado por eventos recentes em sua vida, bem como por memórias de sua história pré-Beatles. Ele acrescentou que alguns dos arranjos são diferentes de suas gravações de rock habituais, e que ele especificamente procurou produtores mais jovens para trabalhar. Ele e sua banda se apresentaram em vários locais para promover o álbum, além de eventos promocionais realizados pelas mídias sociais. Foi o seu último álbum de lançado pela Hear Music antes de ele retornar ao seu antigo selo Capitol Records.

As gravações ocorreram no Henson Recording Studios em Los Angeles; Avatar Studios em Nova York; Abbey Road Studios, Air Studios e Wolf Tone Studios em Londres; e The Mill em East Sussex.

As sessões começaram em janeiro de 2012 com Paul Epworth (no Wolf Tone e The Mill) e depois foram retomadas na Abbey Road, entre fevereiro e março, com outras músicas gravadas com Ethan Johns. As sessões com Mark Ronson ocorreram provavelmente por volta de janeiro de 2012, com o trabalho sendo retomado em julho e depois em 2013. As músicas produzidas por Giles Martin foram gravadas no AIR Studios em março de 2013 e em Los Angeles, muito provavelmente durante a primavera.


DADOS TÉCNICOS

Lançamento: 11 de outubro de 2013

Produção:
- Giles Martin (Kula Shaker, Jeff Beck, Elvis Costello, INXS e The Beatles)
- Paul Epworth (U2, Florence + the Machine, Coldplay, Adele, Bruno Mars, Maroon 5)
- Mark Ronson (Amy Winehouse, Queens of the Stone Age, Robbie Williams, Lady Gaga)
- Ethan Johns (Tom Jones, Kaiser Chiefs, Joe Cocker, Kings Of Leon, Counting Crows)

Músicas:
01. "Save Us"
02. "Alligator"   
03. "On My Way to Work"          
04. "Queenie Eye"
05. "Early Days"
06. "New"
07. "Appreciate"
08. "Everybody Out There"
09. "Hosanna"
10. "I Can Bet" 
11. "Looking at Her"
12. "Road" (inclui a hidden track "Scared")

Singles:
- "New" (2 de setembro de 2013)
- "Queenie Eye" (24 de outubro de 2013)
- "Save Us" (31 de março de 2014)
- "Appreciate" (16 de maio de 2014)
- "Early Days" (7 de julho de 2014)

COLLECTOR'S EDITION:

A edição especial do colecionador, lançada em 2014, é uma reedição com 2 CDs e 1 DVD.O Primeiro CD contém a versão original do álbum. O DVD contém conteúdo exclusivo que conta a história da criação do álbum, além de capturar momentos únicos durante a campanha de promoção internacional, como concertos, shows pop-up em Nova York e Londres, um álbum de perguntas e respostas filmado no The Shard em Londres, performances em programas de entrevistas e imagens de uma sessão de autógrafos na principal loja da HMV em Londres. O segundo CD inclui duas faixas inéditas ("Hell To Pay" e "Demons Dance") retiradas das sessões de gravação do álbum, além de 'Struggle', que foi lançado anteriormente como faixa bônus japonesa. O segundo CD também inclui versões ao vivo de "Save Us", "New", "Queenie Eye" e "Everybody Out There" gravadas no Tokyo Dome, no Japão, em novembro de 2013. O DVD contém um documentário Something New, dirigido por Don Letts, uma coleção de cenas dos bastidores da trilha promocional internacional e vídeos de música para "Queenie Eye", "Save Us", "Appreciate" e "Early Dias". Também estão incluídas as cenas dos vídeos "Queenie Eye", "Appreciate" e "Early Days".

MÚSICOS:

Paul McCartney: vocals (1–14), guitar (1–5, 8–11, 13, 14), bass guitar (1–4, 6, 8–13), percussion (2, 4–6, 10–13), synthesizer (2, 4, 10, 11, 13), celeste (2, 12), glockenspiel (2), Play-Me-A-Song book (2), cigar box guitar (3, 7), piano (4, 6, 8, 12), drums (3, 7, 10, 11, 13), lap steel guitar (4), Mellotron (4, 6, 8, 11), upright bass (5), harmonium (5), harpsichord (6), Fender Rhodes (6, 10), bouzouki (6), keyboards (7, 8, 12, 13), tape loops (9, 10), tubular bells (13), ngoni, washboard and thimbles (14).
Rusty Anderson: guitar (2, 3, 5–8, 10, 11, 13), bouzouki (6, 7), backing vocals (6, 7), water bottle (14).
Brian Ray: guitar (2, 3, 6–8, 13), dulcimer (5), backing vocals (6, 7, 14), baritone guitar (7), congas (14).
Steve Sidwell: trumpet.
Paul Wickens: keyboards (2), guitar (3), piano (3), accordion (3), Backing vocals (6), Hammond organ (10).
Abe Laboriel Jr.: drums (2, 6–8, 13), backing vocals (5–7, 13, 14), djembe (14)
Jamie Talbot: tenor saxophone.
Toby Pitman: programming (3, 7, 8, 10, 11), keyboards (8, 11).
Ethan Johns: drums (5), percussion (5), iPad Tambora app (9), guitar (13).
Paul Epworth: drums (1, 4, 12).

DESEMPENHO COMERCIAL:

O álbum estreou no número 3 nos álbuns Billboard 200 e Billboard Canadian nas paradas norte-americanas, com vendas na primeira semana de 67.000 cópias nos Estados Unidos e 8.500 unidades no Canadá, respectivamente. O álbum vendeu 217.000 cópias nos Estados Unidos em maio de 2016.

'New' recebeu extensa transmissão nas estações de rádio japonesas, chegando ao número 4 no Hot 100 do país. A antecipação da turnê subsequente de McCartney também aumentou as vendas do New no Japão, dando à Paul seu primeiro álbum a figurar nas três primeiras posições desde o Tug of War, em 1982.

O álbum alcançou o top cinco em pelo menos dez países; na Noruega, McCartney liderou a parada pela primeira vez desde seu álbum Flowers in the Dirt, em 1989. Até o final de 2013, 15.000 cópias do disco haviam sido vendidas no Brasil.

CURIOSIDADES:

O produtor Mark Ronson (Amy Winehouse) foi selecionado tocar como DJ no casamento de McCartney com Nancy Shevell, dois anos antes do início da produção. Alguns meses depois de Ronson serviu como DJ para outro evento de McCartney em Nova York. Após recusar-se a receber pelos serviços de DJ o Ronson ofereceu-se para uma futura parceria com McCartney como produtor. Então, alguns meses depois, recebeu uma ligação convidando-o para o estúdio. No total, Ronson gravou três faixas - "New", "Alligator" e "Secret Life of a Party Girl" - embora a última delas não apareça no álbum.
 
Giles Martin, é filho de Sir George MartinPepper's Lonely Hearts Club Band - 50th anniversary editions, The Beatles (Álbum Branco) - 50th anniversary editions, Abbey Road - 50th anniversary editions e, ainda, a trilha sonora do documentário de Martin Scorsese 'George Harrison: Living in the Material World'. Recentemente, Giles também produziu a trilha sonora do filme sobre a vida de Elton John, Rocketman.
(produtor dos Beatles) e produziu, co-produziu e/ou remasterizou para os Beatles os discos The Beatles Anthology, The Beatles Rock Band, 1+ (One), Live at the Hollywood Bowl, Sgt.

O vídeoclipe da música Queenie Eye foi dirigido por Simon Aboud, marido da filha de McCartney, Mary. O vídeo é notável pela variedade de pessoas famosas que aparecem nele, incluindo: os atores Johnny Depp, George Ezra, Jeremy Irons, Chris Pine, Jude Law, Sean Penn, Alice Eve, o ator-apresentador-comediante James Corden, Meryl Streep, a atriz-comediante Tracey Ullman, as modelos Kate Moss, Lily Cole, Laura Bailey, os cantores Jack Savoretti, Gary Barlow, o artista Peter Blake (responsável pela capa de Sgt. Pepper's), o designer Tom Ford, o comediante Howard Long e muitos outros que são mostrados dançando as letras.

Paul McCartney escreveu "On My Way to Work" sobre seu passado antes da fama, aludindo a uma época em que ele trabalhou como companheiro de motorista do serviço de entregas Speedy Prompt Delivery em Liverpool.

No dia em que compôs "Early Days", Paul havia relembrado seu passado em Liverpool com John Lennon: "Comecei a ter imagens de nós na loja de discos ouvindo rock and roll, olhando os pôsteres e a alegria aquilo que me fez lembrar de todos aqueles momentos'. disse ele na época em 2013.

Em relação à inspiração contemporânea, Paul reconheceu que o álbum foi influenciado por seu casamento com Nancy Shevell, sobre o qual ele disse: "Este é um período feliz na minha vida, ter uma nova mulher - para que você obtenha novas músicas quando conseguir uma nova mulher. New era geralmente alegre, mas com uma corrente de dor sendo transformada em riso".

McCartney tocou "Queenie Eye" na 56ª transmissão anual do Grammy Awards em 2014, com Ringo Starr na bateria, bem como durante suas turnês Out There e One on One. A música também foi incluída no setlist da turnê Freshen Up como a única música de New.

O nome da música e o refrão de 'Queenie Eye' eram de um jogo infantil que ele brincava quando jovem, chamado "Queenie, Queenie, quem é que está com a bola?" ("Queenie" era chamado de "Queenie Eye" ou "Queenio") e utilizou a versão do canto que ele lembrava do jogo na música.

Ouça no YOUTUBE: NEW (Full Album)

ou no SPOTIFY:



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

The Beatles Cartoon: Como os Beatles viraram desenho animado?

Por Alysson de Almeida.
Três anos antes de embarcarem na animação psicodélica Yellow Submarine, nossos heróis de Liverpool se tornaram estrelas de uma série de animação, no estilo Saturday Morning Cartoon, em 23 de setembro de 1965, pela rede de televisão ABC. No auge da Beatlemania, foram produzidos uma série de 39 episódios de meia hora de desenhos animados que, desde a estreia, quebrou todos os recordes de audiência do canal. Totalmente inusitado para época, por se tratar de um horário dedicado ao público infantil.
A série consistia em pequenas histórias animadas que se destinavam essencialmente a criar a ilustração visual das músicas dos Beatles que eram tocadas na íntegra e, a cada episódio, o título de uma das músicas seria o tema do episódio. Além disso, havia também sequências de karaokê com imagens mais simples, com legendas complementando as letras inteiras de determinadas músicas.
Os próprios membros da banda não tinham nada a ver com a produção da série além do uso de suas gr…

Helter Skelter (curiosidades)

Helter Skelter é uma canção emblemática na carreira dos Beatles. Por muitos, considerada o primeiro "Heavy Metal" da história, ficou mesmo marcada pela associação com a seita liderada por Charles Manson, uma das mentes criminosas mais malignas do século XX. Para inaugurarmos nossa nova sessão "Histórias e melodias", nada melhor que uma lista de  curiosidades sobre a tridimensionalidade e vida própria que a faixa 23 (ou a 6 do Lado 3) do "White Album" ganhou ao longo dos anos, por diversas razões que abordamos abaixo. Confira!


1 – Essa é a capa da versão estendida do filme lançado em 2004, com roteiro baseado no livro de Vincent Bugliosi, que trata dos assassinatos da “Família Manson” e sua relação com a Helter Skelter. Já assistiu ao filme?

"Helter Skelter significa confusão. Literalmente. Não significa guerra com ninguém. Isso não significa que essas pessoas vão matar outras pessoas. Significa apenas o que significa. Helter Skelter é confusão. A confu…

Do Rio ao Universo: Lizzie Bravo - A brasileira que gravou com os Beatles

Por Alysson Almeida
Imagine-se em um barco em um rio, com árvores de tangerina e céus de marmelada... Cantava John Lennon na proposta lisérgica de Lucy in the Sky With Diamonds. Seria a viagem perfeita! Mas, tente se imaginar dentro do estúdio de Abbey Road dividindo os microfones com os Fab Four no clássico Across the Universe... seria um sonho! E para nos contar como foi realizar esse sonho, a brasileira Elizabeth ‘Lizzie’ Bravo, atendeu o Beatlelogias trazendo histórias da sua estadia na pulsante Londres nos anos 1960, da proximidade diária com os rapazes de Liverpool, de “Do Rio a Abbey Road”, seu livro que já vai para a segunda edição, e como é ser a única brasileira a gravar com os Beatles. Words are flowing out like endless rain into a paper cup...
Beatlelogias - Chegando em Londres em 1967, no boom da cultura da psicodelia, com todas as mudanças comportamentais e sociais da época, como foi para uma menina do Rio de Janeiro viver na Swinging London dos anos 60? Lizzie Bravo: Aos 1…

"Se os Beatles tivessem voltado poderia ter sido ruim" - Entrevista com Gilvan Moura (The Beatles School)

Recentemente o Beatlelogias bateu um papo com Gilvan Moura, um dos grandes destaques da beatlemania brasileira atualmente. Com o "The Beatles School", seu canal no YouTube, Gilvan já ultrapassou os 25 mil inscritos e conquistou em pouco tempo um público cativo que, assim como nós do Beatlelogias, tá sempre ligado nos temas divertidos, intrigantes e incomuns que o também professor de inglês apresenta em seu canal dedicado 100% aos Fab4.

Bom, chega de enrolação e  usando uma expressão oriunda da terrinha do nosso conterrâneo mineiro, vamos ao "nosso dedinho de prosa"....
Gilvan, apesar de ser extremamente didático, a pegada de bom humor nos seus vídeos faz com que o seu canal seja diferente de tantos outros sobre os Beatles. Na sua opinião, esse é o caminho para 'vender' os Fab Four para essa molecada de hoje? Gilvan Moura (The Beatles School): Eu creio que não, porque eu acho que isso é uma coisa mais minha, esse bom humor. Se eu for fazer uma coisa muito séria…

Os Beatles muito além de "Let it Be" (Entrevista com Ricardo Pugialli)

Biólogo por formação, beatlemaníaco por convicção. Podemos creditar a Ricardo Pugialli o título de maior escritor brasileiro sobre a trajetória dos FabFour antes, durante e a partir de agora, também após os "The Beatles". Pesquisador desde 1980 da obra dos 4 garotos de Liverpool, Pugialli lançou em 1992 "Os Anos da Beatlemania". Em 2008 alcançou reconhecido sucesso com o lançamento do livro "Beatlemania" e agora, 11 anos depois, volta para contar em "The Beatles 1970-80" o que o próprio considera como uma continuação natural do primeiro livro. O Beatlelogias teve o prazer de conversar com Ricardo sobre a influência dos "Beatles" nas gerações atuais, a carreira dos quatro além da banda e muito mais.  Com a palavra, o próprio!
por Alysson Almeida e Leko Soares
Beatlelogias - O seu livro 'Beatlemania' de 2008, teve prefácio de Sir George Martin. Como foi que se deu o contato entre vocês? Teve alguma coisa a ver com a sua participaçã…