Pular para o conteúdo principal

FAB Covers - As canções regravadas pelos Beatles (pt 2)




Por Alysson de Almeida

Durante a sua carreira, os Beatles fizeram e gravaram apresentações em muitos programas de televisão e de rádio (principalmente a BBC) bem como passaram infinitas horas gravando material próprio e de terceiros nos estúdios de Abbey Road.

Muitas dessas apresentações no rádio e outtakes de estúdio foram sendo lançadas postumamente de forma oficial pelos FabFour, principalmente a partir da década de 1990, apesar de já constarem em muitos Bootlegs desde a década de 1970.

A segunda parte da nossa saga cobre os covers lançados pelos Beatles nos discos Live at BBC (1994), na série Anthology (1995-1996) e, também, no disco lançado em 2013, On Air – Live at the BBC Volume 2.


PARTE II – LANÇAMENTOS PÓSTUMOS

07 - Live at the BBC (1994)



I Got a Woman - é uma canção co-escrita e gravada por Ray Charles. A Atlantic Records lançou a música como single em dezembro de 1954, com "Come Back Baby" como o lado B. Ambas as músicas apareceram mais tarde no álbum de 1957, Ray Charles (posteriormente relançado como Hallelujah I Love Her So).


Too Much Monkey Business - escrita e gravado por Chuck Berry, lançada pela Chess Records em setembro de 1956 como seu quinto single. Também foi lançada como a terceira faixa em seu primeiro LP solo, After School Session, em maio de 1957. O single alcançou o número quatro no ranking ‘Mais Tcadas em Juke Boxes’ da revista Billboard em 1956.


Keep Your Hands Off My Baby - escrita por Gerry Goffin e Carole King, foi gravada por muitos artistas, principalmente Little Eva, que alcançou a 12ª posição com a música nas paradas da Billboard em 1962. Outros artistas que gravaram versões da música incluem The Beatles, Kirsty MacColl, Helen Shapiro , Lindisfarne, Skeeter Davis, The Trashmen, Ol '55 e Wayne Fontana. Os Beatles gravaram a música do programa Saturday Club da rádio da BBC em 22 de janeiro de 1963, que foi transmitido pela primeira vez quatro dias depois. Eles também tocaram no mês seguinte em sua primeira turnê britânica.


Young Blood - escrita por Doc Pomus, juntamente com a dupla de compositores Jerry Leiber e Mike Stoller, que se tornou um sucesso em 1957. Foi originalmente gravada por The Coasters  e lançada como single junto com "Searchin '" em março de 1957 pela Atco. A versão dos Coasters está classificada em 414º na lista das 500 Maiores Músicas de Todos os Tempos da Rolling Stone.


A Shot of Rhythm and Blues - escrita por Terry Thompson e gravada pela primeira vez pelo cantor de soul americano Arthur Alexander. Foi originalmente lançado nos Estados Unidos em 1961 e no Reino Unido no ano seguinte, como o lado B de "You Better Move On". Johnny Kidd & the Pirates lançou a música como single em 1962.


Sure to Fall (In Love with You) -  escrita por Carl Perkins, Bill Cantrell e Quinton Claunch. Foi gravado por Carl Perkins em dezembro de 1955 e foi planejado para ser lançado como o lado B de "Blue Suede Shoes". A música não foi lançada, no entanto, como um single pela gravadora Sun Records na época.


Some Other Guy - escrita por Jerry Leiber, Mike Stoller e Richie Barrett. Lançado pela primeira vez como single em 1962 pelo próprio Barrett. Foi coverizada pouco depois pela banda The Big Three, de Liverpool. A música se tornou um clássico na cena de Merseybeat.


That’s All Right, Mama - escrita e originalmente gravada pelo cantor de blues Arthur ‘Big Boy’ Crudup em 1947. É mais conhecida como o single de estreia de Elvis Presley. A versão de Presley foi lançada em 19 de julho de 1954 com "Blue Moon of Kentucky" como o lado B. Foi classificada como número 113 na lista da revista Rolling Stone das "500 Maiores Músicas de Todos os Tempos".


Carol - escrita e gravada por Chuck Berry, lançado pela Chess Records em 1958, com "Hey Pedro" como o lado B. O single alcançou o número 18 no Hot 100 da Billboard e o número 9 no ranking de R&B da revista. Em 1959, foi incluída em sua primeira coletânea, Chuck Berry Is on Top. Os Rolling Stones a gravaram em 1964 para seu álbum de estreia e uma versão ao vivo foi lançada em Get Yer Ya-Ya's Out! (1969).


Soldier of Love (Lay Down Your Arms) - também conhecida como "Soldiers of Love", foi escrita em 1962 por Buzz Cason e Tony Moon e originalmente gravada pelo cantor de soul Arthur Alexander e lançada como um lado B do single "Where Have You Been (All My Life) ", que alcançou o 58º lugar na Billboard Hot 100 em junho de 1962. Também foi gravda pelos The Kaisers, Marshall Crenshaw, Pearl Jam e The Derailers.


Clarabella - composta por Frank Pingatore e gravada pelos Jodimars (um grupo formado por ex-membros de Bill Haley & His Comets) em 1956. Hoje, é mais conhecida por ser gravado pelos Beatles pelo programa de rádio "Pop Go the Beatles" em 2 de julho de 1963, transmitido no dia 16 desse mês. Foi apresentada por Billy Preston em um episódio do programa de TV Shindig, em 1965 e, em 2003, o White Stripes gravou uma performance da música ao vivo em concerto.


I’m Gonna Sit Right Down and Cry (Over You) - escrita em 1953 por Joe Thomas e Howard Biggs e originalmente gravado por Roy Hamilton em 1954, sendo mais conhecida por aparecer no primeiro álbum de Elvis Presley em 1955 e por uma performance da música dos Beatles no Star-Club em Hamburgo na véspera de Ano Novo, em 31 de dezembro de 1962, durante sua quinta e última residência em Hamburgo. Esta versão aparece no álbum deles, ‘Live! at the Star-Club in Hamburg, Germany; 1962’.


Crying, Waiting, Hoping – escrita por Buddy Holly e lançado em 1959 como o lado B de "Peggy Sue Got Married". Três versões da gravação de Holly foram lançadas: a versão comercial de 1959, a reedição de 1964 com diferentes orquestrações e a gravação doméstica original de Holly. Em 1987, Marshall Crenshaw interpretou Buddy Holly no filme La Bamba. Ele aparece cantando a música no que deveria ser 2 de fevereiro de 1959, o último show de Buddy antes de morrer no acidente de avião nas primeiras horas de 3 de fevereiro, no que ficou conhecido como "O dia em que a música morreu".


To Know Her Is to Love Her - escrita por Phil Spector, inspirado por palavras na lápide de seu pai, "Conhecê-lo era amá-lo". Foi gravado pela primeira vez pelo único grupo vocal do qual ele era membro, The Teddy Bears. A gravação deles passou três semanas no 1º lugar na parada Hot 100 da Billboard em 1958, enquanto alcançava a segunda posição na parada de singles do Reino Unido. Peter & Gordon e Bobby Vinton mais tarde tiveram hits com a música, com o título e a letra alterados para "To Know You Is to Love You". Em 1987, a música foi ressuscitada por Dolly Parton, Linda Ronstadt e Emmylou Harris, cuja gravação no Trio liderou a parada de singles nos EUA.


The Honeymoon Song - composta por Mikis Theodorakis, letra de William Sansom, arranjada por Angela Morley, interpretada por Marino Marini e seu quarteto, para o filme Honeymoon de 1959.


Johnny B. Goode - escrita e gravada pela primeira vez por Chuck Berry 1958, a música foi um grande sucesso, chegando ao número dois na parada Hot R&B Sides da revista Billboard e ao número oito na parada Hot 100. "Johnny B. Goode" é considerada uma das músicas mais reconhecidas na história da música popular. Creditado como "o primeiro hit do rock & roll sobre o estrelato do rock & roll”, foi regravada por muitos outros artistas e recebeu várias homenagens. A música também está em sétimo lugar na lista da Rolling Stone das "500 melhores músicas de todos os tempos".


Memphis, Tennessee - às vezes abreviada para "Memphis", é uma música de Chuck Berry, lançada pela primeira vez em 1959. No Reino Unido, a música alcançou o sexto lugar em 1963; ao mesmo tempo, a Decca Records lançou uma versão cover no Reino Unido feita por Dave Berry & The Cruisers, que também se tornou um hit do Top 20 do Reino Unido. A versão de Johnny Rivers para música de foi o hit número dois dos EUA em 1964.

Lucille - gravada originalmente pelo músico americano Little Richard, em 1957. Lançada pela Specialty Records, o single alcançou o número um na parada da Billboard de R&B, 21 na parada pop dos EUA e o número 10 na parada britânica. Foi composta por Albert Collins e Little Richard. As primeiras edições da Specialty 78rpm creditam Collins como o único escritor. Little Richard comprou metade dos direitos da música enquanto Collins estava na Penitenciária Estadual da Louisiana.


Sweet Little Sixteen - escrita e gravada pela primeira vez por Chuck Berry, que a lançou como single em janeiro de 1958. Chegou ao número dois na Billboard Hot 100, uma das duas posições mais altas de Berry. A revista Rolling Stone classificou a música em número 272 em sua lista das "500 melhores músicas de todos os tempos" em 2004. Ele usou a mesma melodia em uma música anterior, "The Little Girl From Central", gravada em 1955.
Lonesome Tears in My Eyes - escrita por Johnny Burnette, Dorsey Burnette, Paul Burlison e Al Mortimer. Foi lançado pela primeira vez pelo co-escritor Johnny Burnette e seu Rock 'n' Roll Trio em março de 1957.


Nothin’ Shakin' - escrita por Eddie Fontaine, Cirino Colacrai, Diane Lampert e John Gluck, Jr., e lançado pela primeira vez por Fontaine em 1958.


The Hippy Hippy Shake - escrita e gravado por Chan Romero em 1959. Nesse mesmo ano, alcançou a terceira posição na Austrália. Romero tinha 17 anos quando escreveu a música.


Glad All Over - é uma música de 1957 gravada por Carl Perkins na gravadora Sun Records. Foi lançado como single em 1958. Foi escrita por Aaron Schroeder, Sid Tepper e Roy Bennett. "Glad All Over" foi o último single Carl Perkins lançado pela Sun Records.


I Just Don’t Understand - é uma música escrita por Marijohn Wilkin e Kent Westberry, lançada pela cantora americana Ann-Margret. Ele alcançou o número 17 na parada da Billboard Hot 100 dos EUA em 1961. Foi um dos primeiros discos a apresentar guitarra fuzz-tone.


So How Come (No One Loves Me) - composta pela dupla de compostitors country Felice and Boudleaux Bryant, foi lançada pelos The Everly Brothers em seu quarto disco 'A Date with the Everly Brothers', em 1960.


I Forgot To Remember To Forget - música country de 1955, gravada pela primeira vez por Elvis Presley, escrita por Stan Kesler e Charlie Feathers. A música alcançou a posição de número 1 na parada Billboard de música country nacional em 25 de fevereiro de 1956.


I Got to Find My Baby - "Gotta Find My Baby" foi composta pelo cantor de blues Peter Clayton, que a gravou sob o nome "Doctor Clayton 'em Chicago em 1941 pela Bluebird Records. Ela foi posteriormente gravada por outros artistas de Rhythm & Blues dos anos 50, como " I Got to Find My Baby", incluindo Little Walter e Chuck Berry, que costumam ser creditados pela composição da música. Chuck Berry lançou a música pela primeira vez como single em agosto de 1960 nos EUA, embora não tenha aparecido como um single no Reino Unido.


Ooh! My Soul - às vezes escrito como "Oh My Soul", é uma música de 1958 de Little Richard. Ele apareceu pela primeira vez em seu segundo álbum de mesmo nome. Foi posteriormente gravada pela banda Big Brother and the Holding Company, em 1966.


Don’t Ever Change - canção popular de 1961, escrita por Gerry Goffin e Carole King. É uma das músicas menos conhecidas, embora uma versão do The Crickets tenha atingido o top 5 no Reino Unido, com vocal de Jerry Naylor, em 1962.


08 - Anthology 1 (1995)



That’ll Be the Day - escrita por Buddy Holly e Jerry Allison, foi gravada pela primeira vez por Buddy Holly e The Three Tunes em 1956 e foi regravado em 1957 por Holly e sua nova banda, The Crickets. A gravação de 1957 alcançou um sucesso generalizado. O produtor de Holly, Norman Petty, foi creditado como co-escritor, embora ele não tenha contribuído para a composição. A gravação de 1957 foi certificada como Disco de Ouro (mais de um milhão de vendas nos EUA) pela RIAA (Associação da Indústria de Gravação da América) em 1969. Foi introduzida no Grammy Hall of Fame em 1998. Foi colocada no Registro Nacional de Gravação, uma lista de gravações sonoras que "são culturalmente, histórica ou esteticamente importantes e / ou informam ou refletem a vida nos Estados Unidos", em 2005.


Hallelujah I Love Her So - escrita e lançada como single por Ray Charles em 1956 pela gravadora Atlantic, e em 1957 foi incluída em seu auto-intitulado LP de estreia, também lançado na Atlantic. A música alcançou o número cinco na parada de R&B da Billboard. É vagamente baseado em 'Get It Over Baby', de Ike Turner (1953). Vários artistas, incluindo Stevie Wonder, Peggy Lee, Eddie Cochran e Humble Pie, fizeram um cover da música com sucesso.


Ain’t She Sweet - é uma música composta por Milton Ager, com letras de Jack Yellen. Foi publicado em 1927 por Edwin H. Morris & Co. Inc. / Warner Bros. Tornou-se popular na primeira metade do século 20 e tipificou os anos vinte. Reabatizada como "Happy Days Are Here Again" (1929), tornou-se um clássico do Tin Pan Alley. Ager e Yellen foram eleitos para o Hall da fama dos compositores. Milton Ager escreveu "Ain't She Sweet" para sua filha Shana Ager, que na sua vida adulta era conhecida como comentarista política Shana Alexander.


Searchin' - escrita por Jerry Leiber e Mike Stoller especificamente para The Coasters. Foi lançado como single em março de 1957, e liderou o R&B Chart por doze semanas. Atingiu o terceiro lugar na parada nacional de singles pop.


Three Cool Cats - escrita por Jerry Leiber e Mike Stoller, foi gravada originalmente pelo The Coasters e lançado como o lado B do seu hit "Charlie Brown", em 1958. Os Beatles também tocaram essa música várias vezes durante as sessões Get Back / Let It Be, de janeiro de 1969, mas nada disso ainda foi lançado oficialmente pela EMI.


The Sheik of Araby - escrita em 1921 por Harry B. Smith e Francis Wheeler, com música de Ted Snyder. Foi composta em resposta à popularidade do longa-metragem de Rudolph Valentino, The Sheik. "The Sheik of Araby" foi um sucesso do Tin Pan Alley e também foi adotado pelas primeiras bandas de jazz, especialmente em Nova Orleans, tornando-o um standard do jazz. Um de seus versos também aparece no romance O Grande Gatsby (1925), de F. Scott Fitzgerald.


Bésame Mucho - escrita em 1940 pela compositora mexicana Consuelo Velázquez. Uma famosa versão de 1956 é cantada pelo Trio Los Panchos e pela vocalista Gigliola Cinquetti. Uma letra em inglês foi escrita por Sunny Skylar e gravada por Andy Russell que alcançou o 8º lugar nos EUA em 1944.

Lend Me Your Comb - é uma música escrita por Kay Twomey, Fred Wise e Ben Weisman. Foi originalmente o lado B do single "Glad All Over" de Carl Perkins, lançado em dezembro de 1957 na Sun Records.


Shout - gravada originalmente pelos Isley Brothers em 1959, foi escrita pelos próprios irmãos como resposta às chamadas "Lonely Teardrops", de Jackie Wilson, que eles ocasionalmente tovcavam em apresentações ao vivo. A cantora pop escocesa Lulu teve um # 7 hit no Reino Unido com a música em 1964 (atribuída a Lulu e os Luvvers).


Leave My Kitten Alone - é um sucesso de R&B de 1959, escrito por Little Willie John, Titus Turner e James McDougal, gravado pela primeira vez por Little Willie John e coverizado em 1960 por Johnny Preston.


09 - On Air – Live at the BBC Volume 2 (2013)



I’m Talking About You - escrita por Chuck Berry, cuja versão foi lançada como single em fevereiro de 1961, com Little Star no lado B. Também foi gravada por vários outros grupos britânicos, incluindo The Hollies e The Yardbirds. "I'm Talking About You" foi gravada mais tarde pelos Rolling Stones para o disco ‘Out of Our Heads’, que alcançou o segundo lugar no Reino Unido e nos EUA a música apareceu no disco December’s Children (And Everybody's).


Beautiful Dreamer - é uma ‘canção de salão’ do compositor americano Stephen Foster (1826-1864). Foi publicado postumamente em março de 1864, por Wm. A. Pond & Co. de Nova York. A música foi gravada por Bing Crosby em 1940; e regravada depois por Jerry Lee Lewis, Slim Whitman e Roy Orbison no álbum In Dreams (um dos dez melhores australianos em 1964).



Continua...



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

The One and Only Billy Shears... Ringo Starr - 80 anos

Por Alysson de Almeida
DA INFÂNCIA AO BEATLES
Enquanto a Luftwaffe infligia um dos seus mais violentos bombardeios contra a cidade portuária inglesa de Liverpool, no dia sete de julho de 1940, era simultaneamente trazido à luz o filho único do casal de confeiteiros Richard Starkey e Elsie Gleave. O pequeno Ritchie, que também recebera o nome do pai, veio ao mundo no número 9 da Madryn Street, em Dingle, subúrbio de Liverpool.

Elsie gostava de cantar e dançar, um hobby que compartilhava com o marido, um ávido fã de swing. O casal era habitué no circuito de bailes de dança de salão local. Mas, depois do nascimento do pequeno Ritchie, acabaram tendo que ficar mais caseiros. Elsie adotou uma conduta superprotetora para criar o filho que beirava a paranoia. Posteriormente, "Big Ritchie", como o pai de Ritchie ficou conhecido, perdeu o interesse em sua família, optando por passar horas bebendo e dançando em bares, às vezes por vários dias consecutivos.
Com planos para reduzir os custo…

VOCÊ SABIA? – 15 curiosidades sobre Ringo Starr

Por Alysson de Almeida
Prestes a completar 80 anos na próxima terça-feira, 07 de julho, o eterno boa praça e bem-humorado baterista dos Beatles convoca o mundo todo para participar da sua live de aniversário que contará que vários amigos, inclusive Paul McCartney. Como aperitivo para a festa, o beatlelogias.com preparou um guia sobre algumas curiosidade e facetas do senhor Paz e Amor para vocês.
“So let me introduce to you, the one and only Billy Shears!”
VOCÊ SABIA? Que Richard Starkey adotou o nome artístico Ringo Starr em 1959 devido ao seu gosto por usar anéis (rings)? E que, inclusive, um de seus anéis foi o mote para a trama do segundo filme dos FabFour, Help!, de 1965?


VOCÊ SABIA? Que quando Ringo conheceu a sua atual esposa, Barbara Bach durante as filmagens da comédia Caveman, em 1980, ela já tinha atuado como Bond Girl do filme ‘007 - O Espião Que Me Amava’, ao lado de Sir Roger Moore?

VOCÊ SABIA? Que a irmã de Barbara Bach e cunhada de Ringo, Marjorie Bach, é casada com o guitarris…

The Beatles Cartoon: Como os Beatles viraram desenho animado?

Por Alysson de Almeida.
Três anos antes de embarcarem na animação psicodélica Yellow Submarine, nossos heróis de Liverpool se tornaram estrelas de uma série de animação, no estilo Saturday Morning Cartoon, em 23 de setembro de 1965, pela rede de televisão ABC. No auge da Beatlemania, foram produzidos uma série de 39 episódios de meia hora de desenhos animados que, desde a estreia, quebrou todos os recordes de audiência do canal. Totalmente inusitado para época, por se tratar de um horário dedicado ao público infantil.
A série consistia em pequenas histórias animadas que se destinavam essencialmente a criar a ilustração visual das músicas dos Beatles que eram tocadas na íntegra e, a cada episódio, o título de uma das músicas seria o tema do episódio. Além disso, havia também sequências de karaokê com imagens mais simples, com legendas complementando as letras inteiras de determinadas músicas.
Os próprios membros da banda não tinham nada a ver com a produção da série além do uso de suas gr…

"Se os Beatles tivessem voltado poderia ter sido ruim" - Entrevista com Gilvan Moura (The Beatles School)

Recentemente o Beatlelogias bateu um papo com Gilvan Moura, um dos grandes destaques da beatlemania brasileira atualmente. Com o "The Beatles School", seu canal no YouTube, Gilvan já ultrapassou os 25 mil inscritos e conquistou em pouco tempo um público cativo que, assim como nós do Beatlelogias, tá sempre ligado nos temas divertidos, intrigantes e incomuns que o também professor de inglês apresenta em seu canal dedicado 100% aos Fab4.

Bom, chega de enrolação e  usando uma expressão oriunda da terrinha do nosso conterrâneo mineiro, vamos ao "nosso dedinho de prosa"....
Gilvan, apesar de ser extremamente didático, a pegada de bom humor nos seus vídeos faz com que o seu canal seja diferente de tantos outros sobre os Beatles. Na sua opinião, esse é o caminho para 'vender' os Fab Four para essa molecada de hoje? Gilvan Moura (The Beatles School): Eu creio que não, porque eu acho que isso é uma coisa mais minha, esse bom humor. Se eu for fazer uma coisa muito séria…

JÁ FAZ 50 ANOS! – O fim da banda e o começo da lenda

Por Alysson de Almeida
"The dream is over… what can I say?" Cantou John Lennon na música God, lançada no álbum John Lennon/Plastic Ono Band, em dezembro de 1970. A música, além de falar das suas 'descrenças', falava sobre o final dos anos 1960 e também do fim dos Beatles.
Entretanto, em 10 de abril de 1970, Paul McCartney enviou um comunicado oficial para alguns jornalistas anunciando oficialmente seu desligamento dos Beatles, alegando diferenças pessoais, musicais e empresariais, mas principalmente o fato de querer passar mais tempo com sua família, junto com uma cópia de seu primeiro disco solo 'McCartney'.

Cinquenta anos depois do fim da banda mais famosa da história da música, os fãs dos Beatles continuam tentando entender quais motivos levaram o quarteto britânico a se separar, tão precocemente, e no auge da fama, em 1970. O que aconteceu? Por que aconteceu? E, desde quando já vinha acontecendo? O beatlelogias.com traça um paralelo do ambiente, das prováveis…